Buscar Especialidades

Entenda qual a semelhança e as diferenças entre tomografia e ressonância.

18/12/2017

Tomografia computadorizada e ressonância magnética têm diferentes funções. Confira quais!

Nos dias de hoje é primordial filtrar as informações que chegam até nós, para não cometermos equívocos. E, entre os assuntos que mais geram desinformação está a diferença entre tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Ambas têm um ponto em comum: são geradas imagens em alta resolução, principalmente com os equipamentos modernos, podendo abranger desde órgãos até uma análise completa do corpo. Contudo, as semelhanças param por aí: cada uma tem uma especificidade e é aplicada para cada tipo de situação. E é disto que vamos falar neste artigo.

 

Tomografia computadorizada

Primeiramente vamos falar da tomografia: ela é feita através de um aparelho de raio-X e serve para identificar anormalidades causadas por lesões ou patologias. Ela captará a imagem, de maneira tridimensional, de várias estruturas internas do nosso corpo: os ossos, por exemplo, aparecem em branco, enquanto os gases e líquidos tem uma coloração mais escura. Por fim, há os tecidos do corpo que se apresentam em escalas de cinza, permitindo uma abrangência no diagnóstico.

Entre as principais identificações que a tomografia computadorizada dá acerca do paciente estão problemas na cabeça, como hemorragias intracranianas, fraturas cranianas ou da face e acidentes cerebrovasculares. Também identifica doenças como pneumonia e tumores, além de problemas decorrentes do próprio corpo, como apendicite e pedras nos rins. Outra utilização é para fixação de determinadas próteses e implantes, permitindo maior precisão no diagnóstico. É contraindicada para um grupo pequeno de pessoas, como gestantes e pessoas alérgicas a compostos de iodo.

 

Ressonância magnética

Diferente da tomografia computadorizada, a ressonância magnética não necessita de raio-X para fazer as suas imagens. O processo, neste caso, é feito através de ondas de rádio que penetram no corpo através de um campo magnético criado pelo aparelho, permitindo que possa ser feita, assim como a tomografia, uma imagem em três dimensões do paciente – neste caso, de dentro para fora do corpo.

 

Neste tipo de exame há um grupo maior de risco que deve ser evitado: quem possui algum tipo de implante cardíaco, como marca-passo, ou qualquer outro material que contenha um composto metálico dentro do corpo do paciente.

A ressonância magnética é amplamente utilizada em inúmeras situações que necessitam de maiores detalhes de determinada estrutura do corpo, como a parte interna do cérebro, apontando se há tumores, infecções ou derrames, por exemplo. Mas, também é indicada para a análise dos vasos sanguíneos, coluna vertebral e pode identificar doenças como a hérnia de disco e tendinite, além de inúmeras outras aplicações.

 

Para cada situação, um tipo de exame

Conhecendo as diferenças, você já pode ter a garantia de fazer o exame correto. Para ter ainda mais segurança, é importante realizar os procedimentos com quem entende e tem experiência no assunto. O Instituto de Neurologia do Amapá – Inneuro é um órgão que você pode confiar: são 21 anos no segmento de exames e diagnósticos por imagens, sejam tomografias ou ressonâncias, sempre com os equipamentos mais modernos, permitindo resultados precisos, rapidez no procedimento e laudos assinados por especialistas registrados. Precisa de exames em imagem? Com o Inneuro é possível agendar pelo site do Instituto. É só acessar www.inneuroap.com.br.