Buscar Especialidades

Angioressonância e angiotomografia. Entenda a diferença

06/03/2018

Os termos médicos podem, muitas vezes, assustar os pacientes por sua complexidade. Contudo, ao investigarmos mais a fundo sobre eles é possível chegar a exames comuns que temos no nosso dia a dia. Este é o caso da angiotomografia e da angiorressonância que, apesar de nomes e funções parecidas, têm especificidades que diferenciam seus métodos. Neste artigo do Instituto de Neurologia do Amapá (INNEURO), mostraremos o que significa cada um e os cuidados a serem tomados antes de fazer estes exames de imagem.

Angiotomografia

Primeiro vamos definir a raiz da palavra: ‘angio’ deriva do grego ‘vaso’, que remete ao canal sanguíneo ou linfático. E ‘tomografia’ é o método, feito por um equipamento que vai realizar imagens internas do corpo através de feixes de raios x. Desta forma, a angiotomografia é um exame que mostrará como estão as veias e artérias do corpo a partir de uma imagem gráfica gerada por um equipamento específico. Este tipo de exame é amplamente utilizado para identificar inúmeras doenças e problemas presentes no sistema circulatório, tais como aneurismas, oclusões, malformações dos vasos, estenoses, entre outros.

É amplamente utilizada por sua eficácia e rapidez na geração de imagens, não sendo considerado invasivo – por exemplo, não há necessidade de cateterismo –, permitindo que o médico identifique com grande precisão os problemas encontrados em veias e artérias do paciente. Não é um tipo de exame caro e pode ter caráter preventivo até em outras doenças que o paciente não imaginava portar, como risco de infarto. É contraindicada para mulheres grávidas, indivíduos alérgicos a contrastes, obesos e pacientes com batimentos irregulares do coração.

Também é necessário um jejum quatro horas antes do paciente fazer os exames, assim como evitar a cafeína. Por fim, o médico recomendará alguns medicamentos para diminuição da frequência cardíaca (para melhor visualização dos vasos e uma imagem mais nítida) e, desta forma, é importante que o paciente não seja alérgico a sua composição.

Angiorressonância

Assim como a angiotomografia, a angiorressonância também faz imagens de artérias e veias, mas de um método diferente: é utilizado o aparelho de ressonância magnética que, diferente do primeiro, não emite radiação no corpo do paciente. Este gênero utiliza de um campo magnético para identificar os vasos sanguíneos e artérias do corpo, sendo tão eficiente como a angiotomografia, com a diferença de uma visão espacial mais abrangente. É amplamente utilizada para identificar doenças como aneurismas cerebrais e quando há suspeita de dissecção vascular.

As únicas recomendações neste caso são em exames feitos na região do abdômen, principalmente em imagens da aorta e da artéria renal, necessitando que se faça uma dieta para a obtenção precisa das imagens. É rápida e fácil de ser feita, com o paciente saindo da sala de exames em apenas alguns minutos. Segundo especialistas, é a forma mais contundente de encontrar malformações e possíveis doenças se comparada a angiotomografia.

É preciso ficar atento para as contraindicações: pacientes que portem qualquer tipo de metal no corpo são um grupo de risco, tais como marca-passos ou até algum projétil ou elemento metálico estranho no corpo que ainda não foi retirado, assim como implantes cocleares. Nos três primeiros meses de gestação também não são recomendados neste caso.

Experiência neurológica

Conhecendo estes dois tipos de exame, você pode marcar sua consulta com profissionais da área de forma rápida e efetiva. No Instituto de Neurologia do Amapá (INNEURO) este e outros serviços neurológicos contribuem para prevenção de doenças e melhor qualidade de vida. Marque seu exame através do site, em uma de nossas três unidades ou pelos telefones: (96) 3223-2410, (96) 3118-6127 e (96) 98112-2434.