Buscar Especialidades

Neurotoxoplasmose pode matar se não tratada adequadamente

19/02/2018

A toxoplasmose é uma doença causada pelo cisto do protozoário Toxoplasma Godii que, ao entrar no organismo humano, pode causar infecção em vários órgãos, incluindo coração e cérebro. O que agrava o problema é a evolução da toxoplasmose para sua forma mais grave: a neurotoxoplasmose.

Quando atinge o cérebro, trata-se de neurotoxoplasmose, a forma mais grave da doença e capaz de deixar sequelas.
Ela já foi conhecida como “doença do gato”. Isto porque os felinos, ao ingerirem roedores ou outros animais portadores desse protozoário, os levam para o sistema digestivo e passam a eliminá-los nas fezes durante a vida inteira.

Mas, é importante ressaltar que, para contrair toxoplasmose ao entrar em contato com as fezes de um gato, é preciso que eles sejam hospedeiros, e isto acontece se comerem carne crua ou contaminada. Se receberem os cuidados que necessitam com relação à alimentação, as chances dessa contaminação por ingestão ocorrer diminuem significativamente. Portanto, se o seu gato de estimação possui hábitos saudáveis, ele não é uma ameaça para a sua saúde.

Outro fator é que, para transmitir a doença, a pessoa precisa ter entrado em contato com as fezes e levar às mãos a boca ou pegar algum outro alimento e comer.

Daí a atenção redobrada com as caixas de areias nos parques, locais que as crianças adoram brincar e que podem conter fezes de gatos. Por isso, fique atento, pois, ao colocar a mão na boca, a criança pode contrair toxoplasmose.

Os meios de contaminação que costumam ser mais comuns são:

  • Ingestão de carne crua, carne de porco, bovina, de carneiro ou outro animal portador;
  • Utilizar utensílios contaminados pelo cisto do Toxoplasma;
  • Comer alimentos contaminados;
  • Transmissão congênita: a mãe contrai a doença durante a gravidez, passando para a criança;
  • Transfusão ou transplante de órgãos que estejam com o protozoário – vale lembrar que este último tipo de transmissão é difícil de acontecer.

Cabe ressaltar que uma pessoa não transmite a doença para outra.

A doença pode evoluir para neurotoxoplasmose

Em pessoas sadias, é possível serem uma hospedeira do Toxoplasma e conviver sem qualquer sintoma. Nelas, o sistema imunológico dá conta de não deixar a doença se desenvolver.

O que agrava o problema é a evolução da toxoplasmose para sua forma mais grave: a neurotoxoplasmose.

Pacientes com baixa imunidade, sobretudo os que são portadores do HIV ou em tratamento quimioterápico, têm a probabilidade aumentada de serem vítimas desta doença que quando não diagnosticada e tratada, pode matar.

As pessoas nessas situações devem ficar atentas a dores de cabeça, vômitos, perda de força muscular, letargia, gagueira, febre ou convulsões, quando a doença está num estágio mais avançado.

Ao notar estes sintomas deve-se procurar um neurologista com urgência. O INNEURO conta com profissionais especializados na área e que podem ajudar na busca de um diagnóstico mais preciso, por meio de exames laboratoriais e de imagem, como tomografia cerebral, visando a um tratamento rápido e adequado.

O tratamento é feito com a introdução de medicação de combate à infecção. Quanto antes tratar, melhor e a doença é curável.

Mesmo assim, existe risco de ter deixado sequelas motoras, de acordo com a área do cérebro afetada. Com o avanço dos conhecimentos de neurologia, o médico encaminha o paciente para fisioterapia ou fonoaudiologia para tornar a recuperação mais eficiente e devolver a qualidade de vida da melhor maneira possível.

Em caso de suspeita da doença, o Instituto de Neurologia do Amapá (INNEURO) conta com neurologistas e neurocirurgiões que podem ajudar na busca de um diagnóstico mais preciso visando a um rápido tratamento. Para simples consulta, agende pelo clicando aqui.

Postado em Blog | Tags: , ,